V E S T I B U L A R
MENU
 Menu Principal

Conheça algumas dicas de currículo para um recém-formado


às 14h54
Compartilhe:

Desenvolver um bom currículo que permita encontrar a vaga de emprego almejada pode parecer complicado, isso porque geralmente os graduados não fazem ideia do que colocar no objetivo ou até mesmo como preencher o tópico que requer as experiências profissionais. Como essas indagações são comuns, trouxemos algumas dicas que podem te ajudar a criar um currículo de recém-formado para conseguir aquela tão sonhada vaga, confira:

– Não dê ênfase na sua falta de experiência: embora seja o principal empecilho a falta de experiência não deve lhe desanimar. Utilize o currículo a seu favor para impressionar os recrutadores. O emprego formal não é o único a ser valorizado pelas organizações. As vivências de intercâmbio, trabalho temporário e voluntário são atividades que chamam atenção em seu currículo. 

– Não coloque informações falsas: no desejo de impressionar, é normal aumentar ou inventar informações. Mas, como diz o ditado, mentira tem perna curta. Então, seja sincero em suas respostas para não se prejudicar no futuro por coisas que foram ditas no currículo.

– Procure focar na sua formação: um jeito de desviar o foco da falta de experiência profissional é chamar atenção para a formação acadêmica. Publicação de artigos, participação em palestras, oficinas, projetos de extensão e organização de eventos demonstram o envolvimento com a universidade. Esses diferenciais são fundamentais, pois mostra como é importante melhorar o currículo ainda na faculdade. 

Se você ainda não sabe como começar a criar um currículo, aqui vai um modelo do que é possível ser colocado:

Dados Pessoais: nome completo, e-mail, telefone, cidade e bairro em que reside. 

Objetivo: seja específico ao citar a área e o cargo que deseja atuar. Ex: Auxiliar de Marketing na empresa XXX. 

Formação acadêmica: curso de graduação realizado e o ano de conclusão.  Cursos técnicos e profissionalizantes também podem ser citados nesse tópico. 

Experiência Profissional: estágio, empregos temporários, atuação em empresa de família são itens que podem ser declarados como experiência. 

Idiomas: a escola e a fluência no idioma. 

Atividades extracurriculares: voluntariado, intercâmbio, cursos livres e complementares, monitoria e iniciação científica são itens que podem ser acrescentados nessa categoria. 

Compartilhe: