V E S T I B U L A R
MENU
 Menu Principal

Curiosidade: saiba como começou a tradição das festas juninas


às 17h17
Compartilhe:

Que o mês de junho é o mais festivo do nordeste, todo mundo já sabe, mas como começou essa tradição é ainda uma história desconhecida para muita gente. Antes de ser uma festa cristã, as festas juninas tiveram origem pagã no hemisfério norte, onde se festejava, em junho, o solstício de verão, para comemorar o início das colheitas.

Com o avanço do Cristianismo, a Igreja incorporou a tradição e, no século VI, os ritos da festa do dia do solstício, em 21 de junho, passaram para o dia do nascimento de São João Batista, em 24 de junho. Mais tarde, foram incluídas no calendário as comemorações em homenagem a Santo Antônio (dia 13) e São Pedro (dia 29). É por isso que esses três santos são os padroeiros das festas juninas!

Santo Antônio, o casamenteiro – é o santo junino com maior apelo popular. Chamado do Santo dos Pobres e também muito procurado como santo casamenteiro, por ter ajudado moças pobres a conseguirem os dotes para o casamento.

São João Batista, protetor dos doentes – diz a Bíblia que foi ele quem batizou Jesus. É o mais famoso dos três santos de junho, tanto que as festas juninas são conhecidas como festas joaninas ou festas de São João. É protetor dos casados e enfermos, protegendo contra dor de cabeça e de garganta.

São Pedro, dono da chuva – recebe especial veneração pelos nordestinos, que confiam a ele suas chuvas. Segundo a tradição, é obrigação dos viúvos e das viúvas acender uma fogueira na porta de casa durante a noite do dia 29. O dia de São Pedro também representa o fim do principal período festivo do Nordeste. Em alguns locais é conhecido como “chaveiro dos céus”.

Compartilhe: