MENU
Menu Principal

Professora da FSLF explica a diferença entre gula e compulsão alimentar


às 13h12
Compartilhe:

Quem nunca exagerou na comida e cometeu o pecado da gula que atire a primeira pedra. Quando o assunto é comida, cometer exageros é tão comum que a gula tem uma data especial só para ela, isso mesmo, no dia 26 de janeiro.

E já que a gula ganhou seu destaque essa semana resolvemos conversar com a professora do curso de nutrição da Faculdade São Luís de França, Jamille Caroso, para esclarecer algumas informações.

De acordo com a nutricionista, gula e compulsão alimentar não são a mesma coisa. “A gula pode ser considerada um exagero alimentar cometido ocasionalmente. Diferentemente, a compulsão alimentar é uma doença, um tipo de transtorno alimentar, que pode gerar várias complicações à saúde”, destacou.

A gula, ao contrário da compulsão alimentar, não está ligada a nenhum problema psicológico. “Quando se trata de um caso de compulsão é preciso ser tratado com acompanhamento de uma equipe multidisciplinar (nutricionista comportamental, psicólogo, psiquiatra), pois as causas são multifatoriais”, ressaltou.

O excesso de comida, se cometido ocasionalmente, não gera prejuízos. Porém, quando o excesso de comida é proveniente de um transtorno alimentar como a compulsão alimentar, pode trazer diversas complicações à saúde como ganho de peso e consequências psicológicas pois geram sentimentos de culpa, tristeza, angústia etc.

A gula, ao contrário da compulsão alimentar, não está ligada a nenhum problema psicológico. “Quando se trata de um caso de compulsão é preciso ser tratado com acompanhamento de uma equipe multidisciplinar (nutricionista comportamental, psicólogo, psiquiatra), pois as causas são multifatoriais”, ressaltou.

Para controlar a gula, a dica da profissional é manter uma relação saudável com a comida, não fazer dietas restritivas e realizar as refeições com atenção plena, sem uso de eletrônicos ou outras distrações. “Lembrando que é importante não se sentir culpado quando cometer um exagero vez ou outra. Está tudo bem, no outro dia retorna à sua rotina normal, praticando as dicas que mencionei anteriormente”, explicou.

Compartilhe: